Notas sobre a Gratidão

Gratidão, Grati-amor, Gratiluz, GratiOM, Gratinado… Convivo com o “gratidão” desde o segundo ENCA (Encontro de Comunidades Alternativas) que fui em 2008. Fiquei impressionado como uma gíria, típica dos alternativos e espiritualistas, obteve tanta fama. Alcançou toda a sociedade ao tornar-se botão de facebook, tornou-se objeto de consumo ao aparecer nas latinha de coca Zero. Tenho que um dos fatores responsáveis por isso seja o advento da cultura Good Vibes, que nada mais é do que um hippismo enlatado para ser consumido como objeto de consumo pelas massas. E como vende viu. Mas, o presente texto não é sobre isso e sim sobre a Gratidão em si, que para além do modismo é um conceito profundo e extremamente belo.

Para entender esta palavra é necessário dizer que, por trás de toda gratidão existe uma relação. Geralmente, é o tanto que o envolvimento com alguém tem influenciado nossa forma de ver as coisas. Bancando o filósofo: Gratidão é uma qualidade de apreensão do real inserida num contexto de relacionamento. Para traçar uma linha que une ambos, basta pensar no universo dos relacionamentos amorosos. Pois, “estar bem” ou “estar mal” com a pessoa amada contribui de forma definitiva na forma como recebemos o que nosso cônjuge faz.

Tendo essa questão relacional ficado clara é hora de fazermos a incomoda pergunta: Gratidão a quem? Ou a quê? Ao respondermos essa questão duas coisas vão pesar muito: Quem ou o que é Deus?  O que é o Mundo? Enquanto as várias manifestações do Panteísmo afirmam que Deus é próprio universo, o Cristianismo não abre mão do fato de Deus ser uma pessoa e de nós nos relacionarmos com Ele. Na verdade se Deus não fosse uma pessoa a Bíblia não faria sentido algum. Relacionamentos amorosos e pessoais eram o que já existia na eternidade, entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Através da criação, a Santíssima Trindade decide transbordar esse amor. Logo, se a gratidão está localizada na nossa relação com Deus, podemos dizer que somos gratos à Ele por 2 coisas essenciais: o mundo criado e a salvação que Ele nos conquistou.

Somos gratos por toda criação porque ele diz que o mundo material é bom. Na real, é obra prima do artista Divino. É belo. É por isso que após os 6 dias da criação está escrito: “ E viu Deus tudo o que havia feito, e tudo havia ficado muito bom” Gn 1:31. Tudo o que Deus criou é maravilhoso, é uma dádiva. Pena que a gente, muitas vezes, se relaciona com a criação de Deus como se ela não fosse um presente de Deus.  Ainda nessa pegada temos o famoso salmo 19 “Os Céus Proclamam a glória de Deus” que mostra como a própria criação reflete quem Deus é. O seja, natureza criada é uma “janela”, uma moldura para que possamos ver Aquele que está além dela (Romanos 1). E é aqui que eu acho que os cristãos tem algo a aprender com o pessoal do New Age. Nos meios alternativos é muito comum parar tudo o que se está fazendo para saudar o voo de um casal de araras, a lua cheia que nasce, o sol que se põe. Nós cristãos podemos até discordar de sua interpretação, do objeto de sua gratidão (o próprio universo, a natureza em si), mas com certeza temos algo a apreender com tal reverência perante as belezas do mundo. Digno de ações de graças também é todo o potencial cultural que Deus nos deu (Gênesis 1: 26 e 2:15) e que manifestamos através da ciência e das artes.

Sobre gratidão à salvação que Ele nos oferece, vale pontuar que apesar de o mundo ser perfeito o ser humano abriu o portal para que o mal atuasse no mundo (Gênesis 3). Isso nos distanciou do amor de um Deus santo. Dentre várias, escolho 2 passagens bíblicas que para mim traduzem o quanto devemos agradecer por termos sidos religados à Deus (João 3:16). Efésios 2: 8 e 9 “Porque pela Graça sois salvo, mediante a fé; e isto não vem de vós é Dom de Deus, não por obras, para que ninguém se glorie” e Romanos 11: 33 à 36 “Quem primeiro lhe deu, para que Ele o recompense? Pois Dele, por Ele e para Ele são todas as coisas. A Ele seja a glória para sempre amém”. A Bíblia nos ensina que Deus nos ama incondicionalmente, como um pai ama seu filho. Então, Ele tomou a atitude de mandar Jesus Cristo para tomar todo, o carma que acumulamos com nossas falhas, e triunfar sobre ele na Cruz (Isaías 53: 4 e 5). Eis a verdade chocante a salvação nos foi dada como presente, paga com um preço que não podíamos pagar. Apesar de nossas falhas Deus nos amou e não quis que estivéssemos longe Dele, como não ser eternamente grato?

O Salmo 136 repete a cada verso a sentença Deem graças ao Senhor, porque ele é bom. O seu amor dura para sempre! Para cada situação vivida pelo povo essa frase era repetida interpretando e conduzindo a vida como um todo. E eis o segredo da gratidão, temos que entender que ela deve ser uma lente pela qual nós enxergamos a realidade. É a estética da gratidão, pois afinal de conta a ingratidão nos mantém presos em nossas ilusões, mas ser gratos nos liberta para experimentar a verdade, a bondade e a beleza da realidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s