De novo o cinema do “nórti”

Alguns devem ter sido pegos de surpresa ao testemunhar os protestos referentes ao cenário político brasileiro em pleno tapete vermelho do Festival de Cannes desse ano. O festival que é um dos mais importantes no cenário dos grandes festivais cinematográficos é um palco antigo de protestos e mesmo nessa edição (2016) pudemos testemunhar atrizes de renome internacional como Julia Roberts e Kristen Stewart adentrando o … Continuar lendo De novo o cinema do “nórti”

Sobre valer a pena viver

“Tem no Netflix?” é a pergunta que determina 90% do que assisto ultimamente. E nesse fim de semana foi a vez de Se Eu Ficar (2014) no sábado e de A Incrível História de Adaline (2015) no domingo. Dois filmes que tratam, sob perspectivas diferentes, a mesma questão: diante das dores e dos riscos, escolher viver. Em Se Eu Ficar, Mia e sua família sofrem um … Continuar lendo Sobre valer a pena viver

Das histórias que a gente já sabe o final

Lembro direitinho de uma aula de História no ensino médio em que a professora decidiu passar o filme Hotel Ruanda (2004) para a turma, ilustrando os eventos da guerra civil da Ruanda, que tínhamos estudado em sala. Antes da exibição, ela disse para mantermos em mente o fato de que os eventos dramatizados na tela poderiam não ser fiéis ao que aprendemos nos livros, já que … Continuar lendo Das histórias que a gente já sabe o final

O adeus simples de quem é para sempre

O viver pleno contempla sonhos mil, grandes desejos por amores e edificações para fazer do nosso nome maior do que toda efemeridade do existir no tempo que se chama hoje. Ora, o que temos hoje enfim? O autor do Eclesiastes nos diria para comermos das delicias, amarmos o amor da mocidade, bebericar o que nos faz mais alegres e conversar, sim, sentar na roda de … Continuar lendo O adeus simples de quem é para sempre

“Sobre meninos e lobos”

Marty Baron (Liev Schreiber), é o um editor recém contratado que chega na cidade para trabalhar em um dos maiores jornais locais, ao mesmo tempo que ele é inicialmente temido pelos colegas por possíveis reestruturações e demissões que ele eventualmente venha a fazer, ele também convidado para jantares e dentre eles está agendado um encontro com a figura principal de umas das instituições mais influente … Continuar lendo “Sobre meninos e lobos”

A catarse comum de Marina Person

Década perdida é o apelido maldito dos anos 80 no Brasil, pode se caber tal expressão se fizermos uma análise política e econômica do período que teve muita tensão com o fim do governo militar, por conseguinte a abertura política, uma moeda muito instável e por aí vai, mas sinceramente, não é isso que te dirá aquele que foi jovem nessa época. Eu só vim … Continuar lendo A catarse comum de Marina Person

Up e a beleza de estar errada

Onde já se viu pagar 29 reais por um ingresso de cinema? Não deu, não quis compactuar com essa afronta. Por isso quando chegou a hora de escolher o filme do Cineclube da Liga desse mês, acabei decidindo fazer a primeira edição na qual a gente não iria ao cinema, mas assistiria a um filme já fora do circuito. Aproveitando o motivo do feriado, nos … Continuar lendo Up e a beleza de estar errada

Plástico, status e sabedoria na selva (ou Meu amor por Meninas Malvadas)

Acho que se eu tivesse sido adolescente nos anos 90, meu queridinho seria As Patricinhas de Beverly Hills. Se fosse de 2010 em diante, seria A Mentira. Mas como fui adolescente nos anos 2000, o papel de comédia adolescente que ironiza os estereótipos e consagra os finais felizes ficou com Meninas Malvadas, que faz 10 anos hoje. E ele é mais queridinho ainda por, em … Continuar lendo Plástico, status e sabedoria na selva (ou Meu amor por Meninas Malvadas)